Inspirando artistas do mundo

Um artista terá sempre de estabelecer uma comunicação com o observador. Essa comunicação pode não ser direta, pode ser a vários níveis, atingindo por vezes uma antítese da ideia de comunicação, mas não o deixando de ser, como no dadaísmo, uma expressão do esforço para esteticamente negar todos os valores artísticos anteriores. Ou na antiarte, em que a obra não será arte, mas é criada, apresentada e reconhecida como tal.

ifPara inspirar um artista, ele tem que começar a inspirar-se a si próprio. Inalar, exalar e… começar a trabalhar. O objetivo está perto. Trabalhe, tente variações do seu trabalho, das suas criações. Ouça críticas e melhore sempre. As suas obras são únicas! A questão será por vezes perseverança, não só após receber críticas, mas principalmente perseverança no seu trabalho. Continuar a criar mesmo após dificuldades, que muitas vezes deitam abaixo o espírito criativo e a vontade de criar que tinha antes.

Após a criação vem o passo mais difícil e de maior importância: a exposição e reconhecimento. Difícil, mas utilizando os meios onde se insere, perto de si, certamente não será complicado começar a expor. O reconhecimento virá com o tempo. Não desista. Tente sempre divulgar ao máximo e tendo realmente potencial, acredite que o sucesso estará mais perto do que imagina. Importante, tenha perto de si artistas mais experientes, que criticando (para o ajudar a melhorar), também proporcionam os contactos necessários para conseguir ir mais além.

Há quem chame o fator “sorte” fundamental. Na vida esse fator acontece, mas geralmente terá de ser encontrado ou criado. Nunca, nunca esteja desatento. Por vezes pode estar ao seu lado. Estabeleça pontes com outros, ouça e fale. Poderá obter resultados inesperados. É isso que pretende! Vender. Mesmo que desiludido pelo resultado das primeiras vendas, acredite sempre que mais virão.

Faça o seu melhor! Os resultados desse esforço irão aparecer! Acredite no seu trabalho!